Área pública e construções inacabadas apresentam risco de focos do mosquito da dengue e febre amarela

Área onde seria construído o CAPS AD junto ao Centro XV e construções inacabadas no bairro, põem em risco moradores do Glória com a possibilidade de focos do mosquito transmissor da dengue e febre amarela

O Click Glória recebeu denúncias de moradores do bairro para apurar situações que põem em risco a saúde dos moradores do Glória, com a possibilidade de grandes focos do mosquito Aedes aegypti, responsável pela transmissão da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus.

Uma dessas áreas está junto ao Centro XV e à UBS local. Ali localizava-se a quadra de esportes da instituição de ensino e seria construído o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas – CAPS AD. No entanto, a Prefeitura de Joinville perdeu os prazos para a implantação do equipamento. Agora o local está completamente abandonado e parte do espaço virou uma área alagada com grande facilidade para a criação de larvas do mosquito Aedes aegypti.

Além disso, a reportagem pode documentar inúmeras irregularidades. Há televisões de tubo espalhadas pela construção, tonéis enferrujados e com materiais diversos em seu interior, como lâmpadas quebradas, madeiras podres e ferros enferrujados. Tudo isso localizado entre uma Unidade Básica de Saúde e uma instituição de ensino.

Construções inacabadas

Na esquina das ruas Lindoia com João Krish, também pudemos apurar uma construção inacabada. No local há uma piscina com água parada e o pátio está alagado com mais de 20 cm de água acumulada. Percebe-se com facilidade que a água está acumulada há muito tempo. É um local perfeito para a proliferação de insetos. Recentemente os vizinhos denunciaram a presença de uma pessoa estranha que havia invadido o local e estava utilizando o espaço para parada.  A Polícia Militar foi chamada e constatou que o sujeito possuía diversas ocorrências policiais, mas, sem mandado de prisão.

Outro local identificado no Glória, foi uma construção na rua Timbó, 2560. Ali está sendo erguido um edifício. Durante um treinamento para o uso de um drone, pode-se capturar imagens e  ver não apenas a situação da construção, mas, uma área muito grande totalmente alagada. Conforme os vizinhos da construção, a obra segue a passos lentos e, há 2 meses não há vestígios de  movimentação no local.

Diversos alertas e campanhas para evitar a proliferação de mosquitos estão sendo veiculados em alguns setores da mídia. Também há alertas para que as pessoas compareçam nos postos de saúde para vacinarem-se. No entanto, o que se pode constatar, é que, nem mesmo o poder público está realmente engajado nas causas do problema. Além destas áreas que poderiam ter sido identificadas pelas ações de prevenção dos órgãos competentes, há inúmeras outras que nunca receberam uma visita das autoridades sanitárias. A população é quem tem identificado parte do problema, e sempre através de denúncias, mas, mesmo assim, a resposta tem sido lenta ou ineficaz.

A responsabilidade dos particulares das empresas que deixam estas áreas sujeitas a possibilidade de infestação, também é grave e inaceitável. Todos devem fazer a sua parte.

Combate ao mosquito Aedes aegypti

O transmissor do vírus e suas larvas nascem e se criam em água parada. Por isso, evitar esses focos da reprodução é a melhor forma de se prevenir contra o zika vírus.
Evite o acúmulo de água: O mosquito coloca seus ovos em água limpa (não necessariamente potável). Por isso é importante jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d’água e cisternas.
– Troque a água por areia nos vasos de plantas
– Limpe as calhas
– Coloque tela nas janelas
– Mantenha piscinas limpas

Como identificar o mosquito da dengue

• Mede entre 0,5 e 1 cm;
• Possui cor preta e riscos brancos nas patas, cabeça e corpo;
• Possui 2 pares de asas transparentes;
• Possui 3 pares de patas;
• Voa rasteiro, a no máximo 1 metro do solo;
• Está mais ativo no começo da manhã e fim da tarde;

Para denunciar criadouro do Mosquito da Dengue

– É importante descrever na denúncia o endereço do local a ser verificado
– Incluir nome da rua; número do imóvel a ser fiscalizado ou número de imóvel em frente, ao lado ou bastante próximo; bairro; e ponto de referência;
– Outras informações que ajudem os agentes públicos a verificarem o local (se é uma piscina, se há acúmulo de pneus etc.) também ajudam a localizar o problema;
– Telefone para denúncias: 156 – Ouvidoria da Prefeitura de Joinville
– Pela internet: https://ouvidoria-form.joinville.sc.gov.br/

Verificar também

Click Glória reúne família após 30 anos

0 Click Glória realiza reencontro familiar emocionante após 30 anos sem contato. Encontro foi realizado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.